Todas edições-apresentação-demo RM - Facebook Assine Magnum R.M. Ed 139 ONLINE R.M. Ed 136 ONLINE R.M. Ed 137 ONLINE R.M. Ed 138 ONLINE

É com prazer que apresentamos a revista MAGNUM!

MAGNUM é uma Revista dedicada ao universo das Armas de Fogo. Aborda Colecionismo, Tiro Esportivo, Munições, Recarga, Balística e Legislação pertinente ao assunto. Além de abordar Arqueiria, Caça, Cutelaria, promover entrevistas com pessoas ligadas a cada um desses setores e cobrir lançamentos de novos produtos - no Brasil e no mundo -, buscando estimular seus Leitores ao trânsito saudável, consciente e responsável através desses temas.

Confira abaixo 5 Edições Completas para Assinantes MAGNUM

Edição Especial - Ed. 23 - Regulamento para fiscalização de produtos controlados

blog post image

Editorial

Introdução O novo Regulamento para Fiscalização de Produtos Controlados (R-105), ora aprovado pelo Decreto Nº 2.998,de 23 de março de 1999, destina-se a todas as pessoas físicas e jurídicas que trabalham com produtos controlados pelo Ministério do Exército. São eles produtos químicos, armas, munições, blindagens diversas, carros ou veículos blindados, e as Polícias Militares, Polícias Civis dos Estados, Polícia Federal entre outros. Cabe salientar que não são todos os produtos químicos que são controlados pelo Ministério do Exército, apenas aquelas agressivos a saúde humano, animal e vegetal e que usados indiscriminada e irresponsavelmente podem causar enormes danos a grupos de pessoas, animais ou vegetação.

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line

Revista Magnum Edição 135

blog post image

Editorial

POR GOSTO, POR ATAVISMO, POR JAVALIS E PELA LEGÍTIMA DEFESA

Digamos por nós, colecionadores, atiradores, profissionais de segurança, amantes das armas, caçadores brasileiros, digamos por nós mesmos: Não queremos armas para atirar em alguém. Aliás, ninguém. Acreditamos que, embora armas tenham sim sido criadas também para esse efeito, não é o que buscamos, mesmo em estado de guerra onde a condição de autopreservação é efervescente.

Queremos ter armas porque simplesmente gostamos de armas de fogo. Por gostar de desenho industrial e admirar a indústria de transformação e os “mistérios vulcânicos” da metalurgia. Porque gostamos de história e, justamente por esse gosto, entendemos e acreditamos que homens e armas sejam indissociáveis, sendo indissociáveis também os avanços da humanidade a partir dessa união.

Afetos ao mato, obedientes às normas, queremos com armas caçar javali, também búfalo, amargosa, lebrão, etc . De última hora, queremos comprar aquela espingarda em casa agropecuária, à vizindade dos nossos sítios, ranchos, chácaras e fazendas, e não como quem compra “uma arma”, mas sim uma trivial e útil ferramenta de campo. Queremos comprar pólvora e chumbo e escorva nesses armazéns também para que, à mesa da cozinha, depois da ceia, façamos nossas cargas, simples e metódicas, a martelo e soquete

Talvez queiramos ver rack de arma longa em interior de caminhonete, sobre o vidro traseiro, vendo a partir daí menos roubo de gado. Queremos propriedades rurais herméticas aos invasores de qualquer espécie, quadrúpede ou bípede, e assim queremos também as propriedades urbanas, livres de invasões que não sejam as dos amigos e parentes nos momentos apropriados.

Talvez queiramos poder dar de presente a esses amigos e parentes, queridos e merecedores, uma arma de fogo, sem que precisemos pensar se registro vai permitir ou vai impedir o regalo. Que seja sim operação documentada, porém fluida e viável.

Armas, queremos para dar tiro em latinha, quebrar prato no ar, deitar pepper popper, furar papel e papelão. Ainda que, em legítima defesa, possamos eventualmente ter um outro alvo, tendo arma por instrumento. Uma questão dada a escolhas (Deus nos livre!) cuja premência seja imposta pela vida real, do passado, do presente e do futuro, seguindo, obedecendo sempre a inexigibilidade de conduta diversa.

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line

Edição Especial - Ed. 06 - Catálogo Magnum 1992

blog post image

Editorial

Um verdadeiro presente!


É exatamente Ito que significa este Catálogo MAGNUM 1992 para todos os aficionados pelo segmento das Armas & Munições em nosso país. Em novo formato, com muito mais informações e sintetizando um imenso trabalho de pesquisa, esta publicação deve ser entendida como a Bíblia das Armas & Munições” no Brasil.

Para esta edição do Catálogo MAGNUM contribuíram Autoridades Militares e Policiais Fabricantes, Comerciantes, Importadores, Dirigentes do Tiro Esportivo e Leitores, isto demonstrando o quanto a Corporação MAGNUM estreitou laços com todos os seus públicos nestes 5 anos de existência.

Leia mais

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line

Edição Especial - Ed. 17 - Armas & Acessórios Nacionais e Importados - Jan / Fev 1997

blog post image

Editorial

UM PODEROSO INSTRUMENTO DE CONSULTA Mais uma vez está em suas mãos a verdadeira ''Bíblia das Armas & Munições'', ou seja, o Catálogo MAGNUM. Substituindo, ampliando e atualizando o anterior, o Catálogo MAGNUM deste ano configura-se definitivamente como um moderno guia de compras para os mais fiéis consumidores e proprietários de lojas do segmento nacional de Armas & Munições. Neste catálogo, a procura por qualquer item desejado é extremamente facilitada por uma diagramação moderna e, ao final, o interessado ainda se beneficia de extensa lista de endereços de produtores, importadores e outros fornecedores do segmento.

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line

Edição 21 - Ano 4 - Setembro/Outubro 1990

blog post image

Editorial

Os verdadeiros culpados

Nestas épocas de eleições, movimentos totalmente espúrios, principalmente por parte de políticos (a maioria dos quais primaram por mandatos de absurdo e absoluto imobilismo), pseudo-entendedores de armas e sua aplicação tática, jornalistas mal-formados nas faculdades brasileiras de comunicação da atualidade (as quais infelizmente, grassam em cada esquina do País...) e outros elementos claramente mal intencionados conseguem sensibilizar aquela (grande) parcela desinformada da população, tradicionalmente composta por sacerdotes que se crêem politizados, beatas, inocentes úteis e outros que nunca têm posição própria, então, inocentes úteis.

Assim, o que eram inicialmente apenas ilusões paranóicas de um grupelho desonesto até para consigo mesmo, por um fenômeno de comunicação típico de países com baixo índice cultural como o Brasil e através da incansável repetição, acabam por se multiplicar, tornando-se uma “verdade irrefutável”

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line